encontros de tricot

22 de outubro de 2011.

tricot

O dia em que nos encontrámos pela primeira vez para tricotar juntas. De entre novelos e agulhas nasceram amizades que têm sido tricotadas até ao dia de hoje. O último encontro (na fotografia) foi daqueles que acontecem só porque sim (fomos até ao Azulejo). Porque nos apetece estar mais vezes juntas e o primeiro sábado de cada mês não nos chega para pôr (a conversa) o tricot em dia.

Quem quiser vir ter connosco é bem-vindo, sabendo ou não tricotar. O próximo encontro é já no dia 7 de novembro. Vai haver mais encontros? Sim, todos os primeiros sábados de cada mês as Tricotadeiras de Aveiro vão até ao Biscoito, a partir das 15h. Todas as novidades podem ser encontradas no sítio do costume.

encontro de tricot

knitting

Ontem à noite houve encontro de tricot, cheio de novidades. O primeiro a realizar-se à noite, a estrear um espaço e com muitas caras novas, algumas das quais ‘recrutadas’ na oficina de saberes do passado dia 2 de dezembro. Juntou-se um grupo muito composto e o espírito de partilha esteve em alta. Pena que as fotografias não lhe façam jus. Foi muito (mas mesmo muito) bom!

O ESPAÇO
Invadimos pela primeira vez a Rebaldaria, espaço relativamente recente no panorama Aveirense. Fomos muito bem recebidas e não poderíamos esperar mais…a sala, linda, a lembrar as salas das casas da família, com mesa corrida, louceiro e poltronas!

VAI HAVER MAIS ENCONTROS?!
Sim, todos os primeiros sábados de cada mês, no Biscoito, a partir das 15h. E agora também, a meio o mês, à noite, na Rebaldaria. Todas as novidades no grupo Tricotadeiras de Aveiro, no facebook.

caneleiras

A pensar nos dias mais frios que aí vêm :)
Qual devo escolher? De qual gostas mais?

 
1 – Spiral Rib Legwarmers
2- Basic Patterned Legwarmers
3 – Some Cloudy Day
4- Legwarmers
5 – Salander
6 – Lila’s Legwarmers

costura

Há cerca de um mês iniciei as lições de costura, que era algo que queria há muito tempo mas não encontrava quem ensinasse. Agora deve haver mais procura (fruto dos tempos, talvez) e a oferta assim segue: em pouco tempo surgiram duas ou três oportunidades para me inscrever. No sítio que escolhi, as lições são dadas por uma mestra, à moda antiga. Cada uma de nós faz uma peça à escolha e a mestra ajuda-nos durante todo o processo (tirar medidas, marcar, cortar, …) e assegura que tudo é feito na perfeição! Vê-la pegar no giz e traçar o molde, é uma delícia…e a facilidade com que mostra como se executa a peça…muitos anos de experiência e muita paciência para a minha falta de habilidade. Fui parar ao sítio certo :)

Estou a fazer uma saia (que espero terminar entretanto). A seguir um vestido ou uma blusa? A decidir ;-)

Enquanto a obra não sai, deixo a imagem de um pequeno boneco que fiz para oferecer (cumprindo uma tradição do curso) e juntar aos trabalhos das outras “costureirinhas”.

encontro de tricot de janeiro

Hoje houve encontro de tricot e foi, mais uma vez, um encontro muito bom marcado pela presença dos bebés que vieram anteriormente aos encontros nas barrigas das mães. Mais uma vez vimos as peças lindas que cada uma está a tricotar e trocámos muitos dedos de conversa. Como habitual houve também chá e biscoitos :)

Sobre os encontros…
O encontro de tricot é, tal como o nome indica, um encontro de pessoas que têm como o tricot como interesse comum. Quem diz tricot, diz crochet, bordados, etc. É também (principalmente?) um momento de partilha, de convívio e muita conversa entre pessoas de diferentes idades e experiências. Na prática, juntamo-nos, conversamos e tricotamos em conjunto.

1. Quando? No primeiro sábado de cada mês, a partir das 15h.
2. Onde? A localização não é fixa, mas a maioria dos encontros decorre no Biscoito, em Aveiro.
3. Quem pode participar? Qualquer pessoa que goste de tricotar ou queira aprender*.
O único requisito é a boa disposição :)
4. É preciso pagar? Não. Os encontros são gratuitos.
5. Quando é o próximo encontro? Será no dia 2 de Fevereiro.

Vem ter connosco ao grupo das Tricotadeiras de Aveiro para te manteres a par das novidades.
* Os encontros têm uma natureza diferente de um workshop ou uma aula, mas haverá sempre alguém disponível para ensinar os pontos básicos.

finalmente

Manta

Terminei a manta que já vinha a trabalhar há algum tempo. Não foi a tempo do frio do ano passado, mas agora está pronta para nos aquecer. Sabe bem vê-la assim terminada :-)

Tenho já o pedido de um pequenino cá de casa para lhe fazer uma para a cama. Tenho andado a fazer alguma pesquisa e gostava de lhe fazer uma assim: 1 | 2

manta

Ando há algum tempo a fazer esta manta em crochet. É seguramente o maior trabalho em que já me aventurei e parece-me que ainda não vai ser neste inverno que vai ser posta a uso… Talvez para o próximo outono ou numa noite mais fresca do verão.

manta

Não estou a seguir nenhum modelo…está a ser feita com abertos e fechados em quadrados grandes que fui compondo “on the go”. Escolhi as cores e inicialmente queria apenas uma base branca, mas entretanto já quebrei essa lógica…

em círculo

Consegui, finalmente, tricotar em círculo. Fiz um gorro para o João, muito simples, mas que me enche de alegria. Andava há tanto tempo com vontade de lhe fazer um. Ficou-lhe bem no diametro, mas podia ser um pouco maior na altura. Tem alguns erros, que foram sendo tratados “on the go”.

primeiro gorro

Ajudas fundamentais:
– um vídeo sobre magic loop knitting, disponível aqui.
– esta receita (que segui essencialmente para aprender a fazer as reduções), via ravelry.

Já estou com vontade de lhe fazer outro, agora com uma barra em canelado :-)

preguiça

Ontem não me apeteceu pegar no projecto que tenho em mãos.

Esteve mais frio que nos dias anteriores e cheguei a casa ao fim da tarde com os ossos gelados. Nada que um banhinho quente não tenha resolvido (vinha com vontade de acender a lareira, mas achei que se calhar ainda é cedo).

Pijaminho vestido, lides domésticas tratadas e daí até estar alapada no sofá foi um saltinho, armada de agulhas e lã. Peguei também no livro que trouxe da biblioteca, que tenho lido, aos soluços, nos últimos dias. Descobri que existem duas maneiras de tricotar, o método francês e o método alemão, o primeiro mais adequado para pessoas destras e o segundo para canhotas. Uma coisa que me mete muita confusão, tanto nos gráficos do livro como nestes vídeos [excelentes e que têm sido uma ajuda preciosa ] é que as tricotadeiras não passam a lã à volta do pescoço. Ora, eu aprendi a tricotar assim tinha para aí uns 10 anos… bem que tentei da outra forma, mas não consegui…

Adiante. De cada vez que pego no tricot esqueço-me de como se montam as malhas, mas depois de várias tentativas lá consegui (se calhar é mesmo como andar de bicicleta, como dizem). O objectivo era conseguir fazer um ponto diferente daquele sempre a direito que fica às ondinhas (é liga? ou é meia?) e começar a fazer alguma coisa que não o cachecol. Umas mitenes vinham mesmo a calhar. Passou-me rápido. Deixa-te estar mas é quietinha e faz lá um cachecol que é isso que sabes fazer e aprende a fazer um ponto novo que já não é nada mau.

Comecei, desmanchei, comecei, desmanchei, … até ficar de mau humor e a culpar o material (…)

Hoje fui à minha loja das lãs preferida, vim de lá feliz com o que encontrei, e comecei de novo (apesar da difícil adaptação às agulhas número 9 que também trouxe e que me parecem gigantescas). … estou a fazer (mais) um cachecol… deixo as mitenes para quando me sentir mesmo corajosa.

agulhas

Quem é que arranjou uma lã tão gira? quem foi?

amigurumi

depois de ter passado muito tempo a achar que ler as instruções que permitem fazer os amigurumi era coisa que eu nunca iria conseguir decifrar…lá tomei coragem e peguei na agulha. Não o fiz sozinha, claro. Vi alguns vídeos disponíveis no blog Hook and Needles (que são fantásticos) e depois tentei começar com um esquema muuuuito simples, para não desanimar.

Transformei ligeiramente o esquema do passarinho, porque achei piada ao ar meio alienígena com que ficou.

amigurumi_blog.jpg

amigurumi2_blog.jpg

Entretanto já consigo (mais ou menos) traduzir os símbolos que aparecem nos esquemas e aventurei-me um pouco mais.