Cabo Verde e Moçambique

Têm-me trazido tecidos africanos. Os primeiros vieram de Cabo Verde e, mais recentemente, capulanas de Moçambique. A “colecção” já começa a ser grande e, confesso, ainda não consegui cortar nenhum. Ainda mais depois de ficar a saber, pela leitura da muito interessante série de posts da Rosa Pomar sobre o assunto, que estes tecidos transmitem ideias, que têm um significado.

Capulanas de Moçambique

Ontem chegaram estas capulanas da Casa Elefante (Maputo, Moçambique).

Capulanas de Moçambique

fuxicos

as flores de fuxico, termo brasileiro, são muito simples de fazer, têm imensas aplicações e é uma boa forma de aproveitar pedacinhos de tecido. Já as vi como pregadeiras, em vestidos de meninas, em colchas e almofadas, e sei lá o que mais. Basta cortar círculos de tecido e ir dobrando de modo a dar-se à pétala a forma que se quer. Coser para franzir e já está!

Estas são pregadeiras.

pregadeiras.jpg